Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



09
Ago17

Capítulo 39

por Pedro Rodrigues

Sábado, 14 de Maio de 1994.

O grande dia amanheceu com algum sol, mas à medida que a manhã avançava as nuvens iam encobrindo tudo. Mário, Carlos, Sandra e Rui fizeram todas as compras possíveis e imaginárias num dos hipermercados dos arredores da cidade. Em seguida foram ao salão paroquial, onde guardaram tudo para a grande noite. Queijo, fiambre, manteiga, sumos, colas, água, espumante, pastelaria variada, caixas de sortido, salgadinhos, fruta para salada, entre outras coisas. Às quatro da tarde já Mário e Sandra tinham tudo preparado: as sandes feitas, os sumos, as águas e o espumante no frigorífico. Eles os dois seriam, como fora combinado, os "recepcionistas". Entre as 19h30 e as 20h45 estariam à porta a receber os convidados. Depois, a partir das 21h00, todos iriam assistir ao jogo do ano... isto é, enquanto comiam, bebiam e conversavam. A seguir ao jogo seguir-se-ia o baile e a ceia, entre várias surpresas. Tudo isto ao som de muita música. Naquela noite, só a tristeza ficaria na rua, ao frio e à chuva.

Pelas 19 horas, já Luís e Teresa estavam prontos para a noitada. Luís ia com umas calças e um casaco esverdeados, camisa branca de seda e uma gravata a condizer. Teresa ia simplesmente deslumbrante. Um vestido preto, comprido, não muito justo, com um pequeno decote. Levava uns brincos simples, que a mãe lhe oferecera pelos anos. Nos pés tinha uns sapatos rasos e simples, tal como todo o conjunto. Chamaram um táxi e, enquanto aguardavam, os pais de Luís davam os últimos retoques no filho e em Teresa. Assim que o táxi chegou, despediram-se dos pais daquele. Do Saldanha a Campo de Ourique foi o tempo de um suspiro. Quando chegaram ao largo da Igreja do Santo Condestável estava a começar de chover, tal como previam os meteorologistas para essa noite. Felizmente, Mário e Sandra já se encontravam no seu papel de recepcionistas. Passavam cinco minutos das sete e meia quando Luís e Teresa chegaram à porta do salão.

- Boa tarde! Mário e Sandra, apresento-vos a minha amiga Teresa!

- Prazer! - disse Sandra.

- Sejam bem-vindos a esta maravilhosa noite. Espero que se divirtam...

Luís e Teresa entraram naquele enorme salão, onde já se encontravam Rui, Carlos, Susana e respectivos pares. Depois de estar tudo devidamente apresentado, Luís perguntou:

- Ainda só vieram vocês?

- É como tu vês...

- Espero que ninguém se balde! Com esta chuvinha...

- Está descansado que ninguém faltará à festa do ano!

Aos poucos vão chegando os restantes convidados. À medida que Teresa ia sendo apresentada aos amigos de Luís, a sua simpatia vai cativando a confiança e amizade dos colegas do ex-namorado.

Eram 20h45 quando Mário e Sandra fecharam a porta principal do salão. Pelas suas contas já todos os convidados tinham chegado. Depois de terem confirmado isso mesmo, fazendo uma espécie de chamada, Mário subiu a um pequeno estrado e dirigiu-se a toda a assistência.

- Em primeiro lugar quero dar as boas-vindas a todos, sem excepção e, ao mesmo tempo, agradecer-vos por terem correspondido ao nosso apelo. Sem vocês, nada disto teria sido possível. Muito obrigado! Em segundo lugar, peço a todas as raparigas que desejarem participar num concurso de beleza para se inscreverem ali naquele balcão. O traje que usarão será, naturalmente, o que trouxeram de casa... e deixem-me que vos diga, estão todas maravilhosas! Quero desde já prevenir que a inscrição é gratuita e que o único prémio que receberão será uma magnífica salva de palmas. Bem sei que perante tantas beldades, é injusto não haver um prémio mais valioso mas, sinceramente, o dinheiro não deu para mais. E pronto, todos aos vossos lugares, pois a festa vai começar! Durante as próximas duas horas não haverá música para ninguém, pois iremos todos assistir ao jogo do ano, entre o Sporting e o Benfica. No bar terão comes e bebes com fartura, por isso já sabem... se a fome apertar... e agora que vença o melhor, ou seja, o meu Sporting!

Quando Mário ligou a televisão, não havia ninguém naquela sala, rapaz ou rapariga, que não estivesse ansioso por assistir ao jogo do ano. O Benfica partia com a vantagem mínima de um ponto, mas como o jogo era em Alvalade os sportinguistas acreditavam, piamente, que o seu clube iria vencer e ultrapassar o Benfica na classificação. Para os benfiquistas o empate já não era mau, mas para o campeonato ficar mais seguro a vitória é que era! O Sporting até foi o primeiro a marcar. Os poucos leões ali presentes deram largas à sua alegria. À falta de bebidas alcoólicas, e querendo poupar o espumante para mais tarde, abriram uma garrafa de seven up e brindaram ao futuro título leonino. O que eles se esqueceram de dizer foi o ano em que, hipoteticamente, isso viria a acontecer. À passagem da meia-hora passou por Alvalade um "vendaval" chamado João Vieira Pinto que, só à sua conta marcou três golos, todos na primeira parte. O Sporting ainda teve capacidade de reacção ao primeiro golo do "Pintinho", um balázio, mas quando este fez o 2-2 e, logo a seguir, o 3-2 para o Benfica, o Sporting quebrou anímica e fisicamente. Na segunda parte foi o descalabro total. Isaías e Hélder puseram o marcador em 2-6. O Sporting, de grande penalidade, ainda reduziu para 3-6, mas o resultado final estava feito. O Benfica quase que assegurava a conquista de mais um título nacional, e o Sporting passava, mais uma vez, ao lado do mesmo. Em doze anos nem um conseguiu levar para Alvalade.

Depois do jogo a noitada prosseguiu, mais animada do que nunca. Os "leões" não davam sinais da enorme decepção que os consumia naquela noite, nem os "encarnados" os rebaixavam depois de tão humilhante derrota. Durante cerca de uma hora, a música techno foi rainha e senhora da noite. Os mais recentes sucessos das pistas de dança de todo o mundo contagiaram todos os presentes. Depois da meia-noite, como a fome já apertava, foram todos cear. Depois do "abastecimento", Mário deu início ao anunciado concurso de beleza, onde se inscreveram Maria, Sandra, Ana, Inês, Luísa, Filipa, Tânia, Susana, Carla, Laura (irmã de Rui) e Teresa. Mário mandou as onze candidatas perfilarem-se à frente do júri, constituído por Luís, Rui, Carlos, Manuel, André (o par de Susana), João (o par de Maria) e ele próprio. Antes de se sentar, disse:

- Perante tanta beleza, escolher uma vencedora vai ser uma tarefa hercúlea. Espero que se divirtam e obrigado pela vossa colaboração.

O concurso de beleza dividiu-se em duas partes distintas. A primeira consistiu no desfile das onze candidatas numa "passerelle" improvisada. Depois do desfile, cada candidata apresentou-se devidamente, dizendo o nome, a idade, de onde vinha, o que fazia e o que ambicionava ser no futuro. Depois de tudo isto, o júri reuniu-se para discutir a atribuição dos diferentes títulos, num total de seis. Dez minutos chegaram para o júri chegar a uma conclusão. Mário, uma vez mais, seria o porta-voz.

- Minhas senhoras, meus senhores... a decisão está tomada! Obviamente que não iremos já divulgá-la, a fim de criar um certo "suspense". Agora temos outra surpresa para vos mostrar. Do Carnaval até hoje, eu, o Carlos, o Rui e o Luís juntámos algumas fotografias e videos com os melhores momentos vividos por todos nós nestes dois últimos anos... e, acreditem se quiserem, que foram muitos. Nos próximos quinze minutos divirtam-se, recordem, se quiserem até podem chorar, pois foram momentos inesquecíveis que já não voltam mais...

Durante cerca de um quarto de hora viram "desfilar" no ecrã da televisão todos os rostos dos actuais e antigos alunos dos 10.º e 11.º 5.ª, com expressões mais ou menos felizes. De seguida foi a vez da festa do Liceu Camões, logo a seguir ao Natal de 1992, bem como do beijo que Sílvia e Luís selaram na improvisada cabine do DJ João. O passeio a Conímbriga e a Tomar, onde Mário fez questão de salientar como era bonita a amizade de Maria e Inês, também não foi esquecida. A seguir foi a vez de Teresa se surpreender, ao ver-se no ecrã, juntamente com Luís, Sílvia e Fernanda no Porto. Recordaram ainda a festa de despedida de Sílvia e o lanche em casa de Ana. Para o final, e como não podia deixar de ser, viu-se a Sílvia e o Luís no topo da Torre Eiffel, sem dúvida nenhuma num dos momentos mais felizes das últimas férias de Verão. Quando o filme acabou, Mário dirigiu-se de novo à assistência.

- Prosseguindo a nossa festa, e como ontem alguém aqui presente fez anos, vamos todos cantar os parabéns a essa pessoa. Carlos, por favor, chega aqui ao palco...

Luís, que seguia atentamente o discurso do amigo, chegou-se junto de Mário e dirigiu-se à assistência.

- Só um momento, por favor... antes de cantarmos os parabéns ao Carlos, quero que se recordem que esta semana mais alguém aqui presente fez anos. Alguém muito especial para mim... a minha melhor amiga. Por favor, Maria, importas-te de vir até aqui?

- Um pouco envergonhada, Maria subiu ao palco e cumprimentou o amigo com um longo abraço.

- Agora que está reposta a justiça, que prossiga a festa!

Depois do "parabéns a você", Mário foi à cozinha buscar um bolo de aniversário, propositadamente comprado para aquela ocasião, e duas garrafas de espumante. Escusado será dizer que o bolo foi "devorado" num abrir e fechar de olhos. Com tanto convidado, nem uma migalha sobrou. Seguiu-se, até bem perto das cinco da manhã, o baile propriamente dito, onde se foi trocando de pares, de maneira que todas as raparigas dançassem com todos os rapazes. Durante aquele tempo todo, os "slow's" do passado e do presente foram reis e senhores da noite. Depois de uma noite toda a dançar, seguiu-se mais um "abastecimento". Já passava das cinco quando Mário, com um pequeno papel na mão, se dirigiu à assistência.

- Chegou a hora de acabarmos com o "suspense" em relação ao concurso de beleza. Neste papel tenho o nome da vencedora, bem como das que foram distinguidas com os diferentes títulos, normalmente atribuídos em concursos desta natureza. E para quem acreditou que não haveria prémio para a vencedora, que se desengane. Apesar de modesto, a rainha do baile terá direito a um prémio-surpresa. Bom... e aqui estãoo as vencedoras da noite. Para receber o diploma de Miss Fotogenia, chamo ao palco a Laura.

Depois de a cumprimentar e de lhe entregar um pequeno diploma, continua com a divulgação das premiadas.

- Para receber o diploma de Miss Simpatia... chamo ao palco a Inês.

Inês subiu ao palco debaixo de fortes aplausos. Depois de receber o diploma, voltou para junto das suas amigas.

- Para receber o diploma de melhor vestido da noite... talvez uma surpresa para a galardoada, mas acreditem que pela sua simplicidade foi unanimemente escolhido pelo júri... chamo ao palco a Teresa!

Sem querer acreditar no que ouvia, Teresa subiu ao palco e, no meio de um forte aplauso, recebeu o diploma a que tinha direito.

- Sem mais, vamos passar para os três primeiros prémios. Para receber o diploma correspondente à Segunda Dama de Honor, chamo ao palco a Maria!

Após entregar o diploma a Maria, Mário prosseguiu:

- Chegou agora a vez de conhecermos a Primeira Dama de Honor. Para receber o seu diploma chamo ao palco a... Carla!

Carla, contentíssima, subiu ao palco, fortemente aplaudida. Cumprimentou Mário e recebeu o seu diploma.

- E pronto, a nossa festa está a chegar ao fim. Espero que tenham gostado e, acima de tudo, que se tenham divertido. Antes de anunciar a próxima premiada, e antes de irem todos descansar, queria aqui fazer um apelo a todos aqueles que quiserem vir aqui amanhã, a partir das 16 horas, para ajudar a acabar com as sobras e, obviamente, para limparmos o lixo que hoje aqui fizemos. É lógico que não o faremos agora, pois estamos todos cansados e a precisar de dormir. Obrigado por terem vindo, bom descanso, um bom domingo e, para a Teresa, uma boa viagem de regresso a Ovar. E agora... chegou o momento mais esperado da noite! Aquele momento em que iremos conhecer a rainha do baile. Para receber o diploma correspondente a Miss Baile de Finalistas, chamo ao palco a... chamo ao palco a Sandra!

Completamente surpreendida, Sandra subiu ao palco debaixo de fortes aplausos. Depois de cumprimentar Mário, recebeu o diploma e um enorme ramo de flores. De seguida dirigiu-se à assistência.

- Muito obrigado a todos aqueles que me proporcionaram este momento, único para mim! Vocês são os melhores amigos do mundo!

Ainda com Sandra em cima do palco, abriram duas garrafas de espumante, com que brindaram a vencedora daquele concurso, bem como a todos os participantes daquela noite inesquecível.

Depois das despedidas feitas, cada um seguiu o caminho que as pernas mais lhe indicavam... o caminho de casa, para debaixo do vale dos lençóis.

 

CONTINUA...

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2017
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ