Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



20
Ago17

Capítulo 58

por Pedro Rodrigues

No seu gabinete, Sandra ligou para Víctor, Patrícia e Diana, convocando-os para uma pequena reunião. Não foi preciso esperar meia-hora para os três estarem na sala de convívio da Junta de Freguesia.

- O que é que houve de tão urgente para nos convocares aos três para uma reunião?

- Já ouviram falar da ARISCO?

- O que é isso?! - perguntou Diana.

- A ARISCO - Associação para a Promoção Social e da Saúde -, cuja sede fica no n.º 21 da Rua João Ortigão Ramos, em Benfica, escreveu aqui para a nossa Junta de Freguesia a convidar três jovens ligados aqui à mesma para uma acção de formação a realizar nos dias 2 e 3 de Março na Praia da Areia Branca...

- E para que serve essa acção de formação?

- A ARISCO pretende dar-vos formação para que possam formar uma equipa para um evento desportivo a realizar em data e local a designar.

- E que evento é esse?

- Sobre isso não vos posso adiantar muita coisa. A prova chama-se "Castelos de Risco" e é constituída por vários jogos onde é preciso bastante agilidade, destreza física e capacidade de raciocínio. Além de terem de formar uma equipa, terão de a preparar física e psicologicamente para o dia da prova. Posso contar com vocês?

- Disseste 2 e 3 de Março? - perguntou Diana.

- Sim...

Víctor, Patrícia e Diana entreolharam-se e concordaram em ir à tal acção de formação.

- Podes contar connosco!

- Óptimo! Sabia que podia contar com vocês... amanhã mando um fax para a ARISCO para vos inscrever na acção de formação. Agora desculpem lá, mas tenho de sair mais cedo. Algum de vós pode ficar a substituir-me?

- Não te preocupes! Podes ir à tua vida...

- Até amanhã!

- Diverte-te!

Antes de sair, Sandra vai à recepção despedir-se de Luís.

- Luís, podes chegar aqui fora?

- Claro...

Quando Luís chegou junto de Sandra, esta puxou-o para si e beijou-o.

- Este é o meu pedido de desculpas por tudo aquilo que te fiz sofrer...

- Sandra, será que posso ter esperanças numa resposta afirmativa para a proposta que te fiz?

- Não sei, Luís... primeiro terei de falar com os meus pais... mas estou muito tentada a aceitar!

 

À noite Sandra conversou com os pais sobre a proposta de Luís.

- Tenho uma coisa muito séria para vos dizer... o meu ex-namorado, o Luís, com quem tenho andado um bocadinho de candeias às avessas, propôs-me uma vida a dois...

- Eu não censuro essa atitude do Luís, mas acho que isso terá de ser muito bem ponderado. Se vocês se amam de verdade, acho que não custa nada tentar... se for para andar sempre às turras, como até aqui, nem vale a pena!

- Amanhã trago cá o Luís para vocês o conhecerem melhor... e até o convido para jantar!

- Fazes bem, filha... é a conversar que a gente se entende!

 

No dia seguinte, logo de manhã, Sandra foi ter com Luís.

- Bom dia amor! Estás convidado para mais logo jantares em minha casa...

- Logo?!

- Sim... já falei com os meus pais sobre a tua proposta...

- E eles?...

- Mais logo conversamos... agora tenho o trabalho à minha espera. Até já!

Sandra começou o dia a escrever uma carta para a ARISCO, onde confirmava a presença dos seus três colegas na acção de formação. Depois de a enviar através de um fax, foi até ao escritório da presidente.

- Pronto, D.ª Júlia! Já enviei o fax para a ARISCO com tudo o que eles pediam...

- Óptimo! Podes ficar um pouco na recepção?

- Posso! Agora nem tenho nada para fazer na minha sala... quer que chame aqui o Luís?

- Se não te importares...

Sandra foi à recepção avisar Luís de que a presidente precisava dele. Alguns minutos depois da saída deste para a rua, Sílvia recebeu uma visita de todo inesperada.

- Bom dia!

- O que fazes tu aqui, Sílvia?! Como é que soubeste que eu trabalhava aqui?

- Não tens nada a ver com isso! Passei aqui simplesmente por acaso, e lembrei-me de te vir avisar que tu e o Luís só ficarão juntos se eu quiser!

- Já não te chega todo o mal que nos causaste?

- Não, queridinha... agora é que vocês vão ver daquilo que eu sou capaz!

E dito isto, Sílvia desceu as escadas e saiu para a rua. Quando Luís chegou, Sandra correu para ele.

- Nem imaginas quem esteve aqui mal tu saíste...

- Quem?!

- A Sílvia!

- Como é que ela teve coragem?!...

- Ela meteu-me tanto medo, Luís... que agora é que iríamos ver do que ela era capaz... e que só ficaríamos juntos se ela quisesse...

- Oh Sandra, não te preocupes com nada disso! A Sílvia não se vai atrever a fazer-te mal!

E dito isto, Luís dá um abraço bem apertado a Sandra, que desatou a chorar.

 

CONTINUA...

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2017
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ